Artigos

Liberdade para escolher

“É, por isso, que nos aliamos a esta iniciativa, pois consideramos que a mesma promove exatamente essa liberdade, reforçando a importância de que os meios digitais constituam um elemento complementar, mas não substituto aos anteriores meios”. DECO
covid

“Podemos continuar a ir às livrarias comprar livros, podemos continuar a ir às bibliotecas, podemos continuar a ler jornais ou revistas” em casa ou nos cafés ou noutros estabelecimentos – Graça Freitas, Diretora Geral de Saúde.

“O risco é, de facto, baixo. Devemos continuar a ler, a utilizar o suporte papel”, frisou, apelando diretamente a cafés e outros estabelecimentos e instituições para “continuarem” a assinar a imprensa, nomeadamente a regional.

Eleições primárias no estado de Iowa (EUA) mostram porque a opção em papel ainda é essencial

Todos nós precisamos da opção de escolher papel em vez de digital. Lições das eleições primárias em Iowa (EUA) e um movimento favorável ao consumidor pela gigante das telecomunicações AT&T.

40% dos franceses são a favor da complementaridade do papel e do digital para operações promocionais, segundo a Armis e Harris Interactive

Além disso, 40% dos Franceses utilizam de modo complementar a promoção em papel e digital, de acordo com o barômetro 2020 da plataforma de digitalização de prospectos e operações comerciais da Armis, realizada com o instituto Harris…

Cliente deve Escolher entre Fatura Eletrónica ou em Papel

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) defende que os consumidores devem poder escolher entre receber a fatura de um determinado serviço em papel ou de forma eletrónica.

Direção Geral do Consumidor fala da Recomendação da ANACOM sobre a cobrança pelas faturas em papel

A ANACOM emitiu a 27 de março uma recomendação aos operadores de telecomunicações para que não cobrem qualquer valor pela disponibilização de faturas não detalhadas ou com um mínimo de detalhe aos seus assinantes, seja em papel ou…

Recomendação da ANACOM sobre a cobrança de faturas em papel ou outro suporte

A ANACOM recomenda aos operadores de telecomunicações que não cobrem qualquer valor pela disponibilização de faturas não detalhadas ou com um mínimo de detalhe aos seus assinantes, seja em papel ou em qualquer outro suporte.

Telecomunicações: operadores não devem cobrar por faturas em papel

Nas últimas semanas, a DECO recebeu reclamações de vários consumidores sobre a intenção da MEO de cobrar € 1 pelas faturas em papel. A medida entrará em vigor a 1 de abril e afetará os clientes que não aceitem receber as faturas em formato eletrónico, ou seja, por e-mail.